gerofuturo@gmail.com

quinta-feira, 14 de abril de 2011

A arte de evelhecer

Gerontologia, a profissão de futuro em Portugal

publicado17:1416 janeiro '09

A profissão de gerontólogo foi hoje apontada, num encontro em Bragança, como uma das que mais futuro tem em Portugal com um vasto mercado para explorar a nível institucional e na criação de próprio emprego.

Abrir uma empresa de "old-sitter" para prestar a idosos serviços idênticos aos das "baby-sitters" para crianças, de ama de companhia, ou prestação de cuidados a seniores são apenas alguns dos possíveis projectos para estes novos profissionais hoje defendidas.
As sugestões foram deixadas num encontro, em Bragança, que juntou estudantes de Gerontologia dos cursos de Bragança, Aveiro e Viana de Castelo.
Estes cursos existem também no Porto e, embora todos sejam recentes, já formaram cerca de 200 profissionais com competências para darem resposta a um público crescente, devido ao envelhecimento da população portuguesa.
Luís Jacob, professor no curso de Gerontologia da Escola Superior de Saúde de Bragança - e responsável pela rede nacional de universidades da Terceira Idade, que reúne 121 estabelecimentos em Portugal - sustentou que as universidades seniores são uma área a explorar pela Gerontologia, que considera das profissões de futuro em Portugal.
Estes novos profissionais, segundo afirmou, reúnem uma série de competências necessárias aos serviços já existentes para idosos e capazes de criarem novas respostas.
Um levantamento feito pelos responsáveis dos cursos revela que mais de metade dos gerontólogos recém formados estão a trabalhar, alguns ainda em estágios, parte em instituições de solidariedade social e outros no sector privado.
Para Luís Jacob, as instituições de solidariedade necessitam destes profissionais para orientarem os seus lares e outros equipamentos destinados a idosos, pelo que vê aqui uma parte importante de mercado de trabalho para os novos profissionais.
Porém, o docente realça que o número de idosos institucionalizados não chega a 10 por cento da população, existindo um universo de 90 por cento para explorar com novas respostas.
De outros países, como a vizinha Espanha, chegam exemplos de serviços, nomeadamente a recuperação do conceito das damas de companhia, até mesmo em lares da Terceira Idade, ou a criação de serviços de "old-sitter".
A área do turismo sénior, ou a prestação dos mais diversos cuidados aos idosos, são outras vertentes apontadas como exemplos para os gerontólogos explorarem na criação de emprego próprio.
Um caso concreto referido foi o de uma empresa, a "Old Care", criada recentemente em Bragança - a primeira do género na região - por um recém-formado gerontólogo, que presta vários serviços, designadamente assistência domiciliária, acompanhamento, cuidados de enfermagem, telemedicina, venda de equipamentos e eliminação de barreiras arquitectónicas.

Sem comentários:

Enviar um comentário