gerofuturo@gmail.com

sábado, 23 de abril de 2011

As refeições na terceira idade

A todos desejo que passem um dia de Pascoa muito feliz;

O dia de hoje proporciona-se a alguns exageros alimentares, sei o que isso é, estou em Torre de Moncorvo - Bragança, e á minha volta observo uma mesa com deliciosos folares, os ovos de chocolate as tradicionais amêndoas de Moncorvo,… tudo isto uma autentica tentação para o comum dos humanos.






Perspectivando do que iria escrever no dia hoje, fiz uma pesquisa que achei interessante partilhar sobre o cuidado a ter com as refeições para os idosos;

“As refeições na terceira idade devem ser pouco abundantes e repartidas, para que cada uma não sobrecarregue demasiado o estômago do idoso. À medida que aumenta a idade, a tendência será para que as refeições se tornem isocalóricas e com intervalos de cerca de 2,30 a três horas. Estas refeições devem ser preparadas para facilitarem a mastigação e permitirem uma fácil digestão, evitando a utilização de condimentos fortes e de gorduras em excesso e muito aquecidas.
Para além disso, as refeições devem ser atractivas em termos de aspecto, de  paladar e de consistência a fim de que estimulem o apetite.
Em termos de nutrientes, para idosos, deve preparar refeições pobres em gorduras sólidas e de origem animal e ricas em proteínas de origem animal, metade das quais devem ser provenientes de produtos lácteos.
O idoso deve ir buscar as vitaminas e minerais aos alimentos do GRUPO V da roda dos alimentos (vegetais, hortícolas, batatas, frutos), pois estes alimentos são facilmente digeríveis. As fibras podem ser adquiridas à custa do pão de mistura e de alimentos do GRUPO IV (vegetais secos, cereais e derivados, leguminosas secas, açúcar e cacau)…”

Com um Abraço,
Maria Antónia Calvo

quinta-feira, 21 de abril de 2011

Linha do cidadão idoso


A Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas decidiu proclamar o ano de 1999 como o Ano Internacional das Pessoas Idosas, sob o lema: "Por uma Sociedade para todas as Idades", sociedade que se quer baseada no respeito pelos direitos humanos, pelas liberdades fundamentais, pela justiça social e pela participação cívica, designadamente chamando a atenção para um grupo de particular risco - a população idosa.
O Provedor de Justiça neste contexto decidiu criar uma linha telefónica gratuita de apoio aos cidadãos idosos.
A Linha do Cidadão Idoso pretende divulgar junto das pessoas idosas informação sobre os seus direitos e benefícios na área da saúde, segurança social, habitação, obrigações familiares, acção social, equipamentos e serviços, lazer, entre outras, de forma a contribuir para uma participação mais activa dos idosos na vida da sociedade, habilitando-os para um melhor exercício dos seus direitos. Propõe-se igualmente garantir um atendimento personalizado e contribuir para a acessibilidade da informação.
A Linha do Cidadão Idoso 800 20 35 31 funciona todos os dias úteis entre as 9h30m e as 17h30m, existindo um gravador de chamadas fora deste horário. A chamada é inteiramente gratuita.
A questão colocada será tratada directamente pela Linha do Cidadão Idoso ou, caso tal não seja possível, será encaminhada para as entidades competentes ou para os serviços da Provedoria de Justiça, desde que esteja dentro do seu âmbito de actuação.
A Linha do Cidadão Idoso iniciou o atendimento público em 15 de Julho de 1999.
Para que Serve?
Serve para informar e divulgar, junto dos cidadãos que atingiram a maturidade das suas vidas, um grande conjunto de direitos e de benefícios, em áreas tão importantes como, por exemplo:
    Saúde
    Segurança Social
    Habitação
    Equipamentos e Serviços
    Tempos Livres
A Linha do Cidadão Idoso não é uma linha de emergência e não dá consulta jurídica.
Como Funciona?
Do outro lado do telefone encontrará, entre as 9h00 e as 17h00 de cada dia útil, uma voz interessada e atenta que tudo fará para o(a) ouvir, aconselhar e informar e, se necessário, para lhe dar os endereços e os números de telefone que poderá contactar. Se possível, a própria Linha resolverá directamente o seu assunto ou encaminhará a sua reclamação para os serviços da Provedoria.
Fora desta hora poderá sempre deixar a sua mensagem. Será sempre contactado.
Porquê uma Linha do Cidadão Idoso?
Porque as pessoas têm direito a:
    Segurança Económica
    Condições de Habitação
    Convívio familiar e comunitário
    Respeito pela sua autonomia pessoal (cf. CRP art.º 72

Esta é uma informação que todos nós cidadãos devemos saber.
Como Gerontologos e cidadãos civilizados que somos, compete-nos informar, ajudar, proteger e denúnciar alguma situação menos correcta que ocorra sobre uma classe que no nosso País é muito exposta á violência, solidão e abandono, "OS IDOSOS" .
Um idoso bem informado torna-se menos vulnerável.

Paula Arsénio

terça-feira, 19 de abril de 2011

“ Segurança Social encerra Lar de idosos que proprietária tinha abandonado”

Resumo do artigo:
A Segurança Social encerrou na Quinta-feira, 6 de Janeiro de 2011, um Lar de Terceira Idade, conhecido como Lar da Sofia, situado no Casal Chuabo, Várzeas, no concelho do Cartaxo, que acolhia 16 idosos.
Este Lar foi fechado devido às queixas das funcionárias e dos familiares dos utentes ninguém sabia do paradeiro da proprietária do Lar.
Maria Fernanda Alves denunciou a situação do Lar onde a sua mãe se encontrava, a sua mãe fazia-lhe queixas regularmente, dizia-lhe que a alimentação não era boa, que lhe cheirava a urina e que a roupa da cama não estava em condições.
Maria Cecília diz que no Dia de Natal foi visitar a sua mãe, e que ela tremia de frio e estava tapada apenas com um cobertor de bebe e não havia aquecedores.
Nesse dia esteve apenas uma funcionária a tomar conta dos idosos todos, desde as 7 da
manha até à meia-noite.
Os Familiares que estiveram no Lar de Terceira Idade, quando foi encerrado viram que a casa de banho não tinha as mínimas condições de higiene, que os tectos estavam pretos e que nas camas existiam cobertores pequenos pouco quentes.
Maria Fernanda Alves diz que os idosos no dia anterior comeram porque uma funcionária
comprou comida e uma botija de gás com o seu próprio dinheiro.
Alguns Familiares de alguns idosos não sabem onde vão coloca-los, a Segurança Social
forneceu uma lista de nomes de Lares do Distrito de Santarém, ondes estes  poderão ser  encaminhados.
Fernanda Alves debate-se com um problema, pois não tem espaço para acolher a sua mãe.
Artigo publicado no Mirante, a 13 de Janeiro de 2011.
A minha opinião:
Na minha opinião, muitos idosos são colocados em Lares, porque os seus familiares muitas vezes não tem tempo para lhes dar atenção, não tem espaço para os ter em casa e muitas vezes o espaço não esta, adaptado a eles.
Mas a maior parte dos idosos que estão colocados em Lares, foram abandonados pelas suas famílias, ou porque sofriam de maus-tratos por parte dos seus familiares.
O  problema do abandono de idosos é um problema do século XXI caracterizado pela destruturação familiar, que empurra para situações de Exclusão “os membros mais problemáticos” da família, empurrando-os assim também para uma situação de Exclusão Social. Neste caso o “problema” é o idoso e a sua falta de autonomia impostas pela
debilidade física e mental. Por outro lado um idoso autónomo que é forçado pela família a ir para um Lar sente-se excluído e abandonado.
Excluído pela sua própria família desvalorizado como se já não tivesse nada para dar e ensinar, e como não tendo direito a qualquer reconhecimento ou apreço.
Muitos idosos não querem ir para um Lar, pois pensam que a sua família já não gostam deles, e muitos não querem deixar as suas casas porque tem lá as suas recordações e ao pensarem que vão para um Lar pensam que vão perder essas recordações e o resto da sua autonomia.
Colocar  um idoso num Lar tem pros e contras e deve ser muito bem ponderada e onde o principal interveniente, o idoso, deve ser ouvido e respeitado acima de tudo. A falta de respeito pelo idoso é o primeiro passo para a sua Eclusão.
Rita Fernandes  

segunda-feira, 18 de abril de 2011

ALERTA SENIORES - 10% esperam um mês em casa pelos cuidados de saúde do Estado

Dentro de 40 anos, os indivíduos acima dos 75 anos serão 1/3 da população, estima o INE. Neste cenário, cuidados de saúde e ajuda nas tarefas do dia-a-dia, como a higiene pessoal, preparação de refeições e limpeza da casa, são uma preocupação cada vez maior. Um sistema de cuidados bem articulado pode evitar a institucionalização em lares, assegurar a permanência junto da comunidade e proporcionar mais autonomia.
Mas um inquérito efectuado para a Deco Proteste a quase 3 000 europeus, 1049 dos quais portugueses, mostra que as respostas do Estado, nomeadamente do SNS e Segurança Social, não são suficientes para suprir as necessidades.
Os cuidados médicos e de enfermagem lideram as necessidades dos entrevistados que pediram ajuda ao domicílio (1/4 dos casos). A maioria dos inquiridos que solicitaram cuidados de saúde têm mais de 75 anos. Trata-se sobretudo de indivíduos com dificuldades financeiras (80% das situações), no mesmo estudo 10% referiram ter esperado mais de 1 mês para começarem a beneficiar, o que é revelador de uma resposta insuficiente do SNS.
Mandatadas pela Segurança Social e Ministério da Saúde, as Juntas de Freguesia devem fazer um levantamento das necessidades dos idosos em diversas áreas:
- saúde;
 - refeições;
- higiene;
- limpezas;
- acompanhamento diurno e nocturno.
Se não tiverem possibilidade, a competência deverá ser transferida para o organismo com melhor conhecimento no terreno (IPSS, Misericórdias, etc.). A partir desta informações, será possível criar um sistema integrado de serviços. A procura é cada vez maior e a oferta insuficiente e nem sempre adequada. Como país, temos de organizar-nos para proporcionarmos qualidade de vida a quem mais precisa.

Fonte: www.deco.proteste.pt 322/Março 2011

Teresa Castanheira

domingo, 17 de abril de 2011

BIODANZA

O que é a Biodanza?

"A Biodanza não é somente um conjunto de exercícios com músicas ou um sistema convencional de expressão das emoções, mas sim, uma nova visão da Vida, um processo de desenvolviemnto humano, de integração da identidade, de transformações internas e desenvolvimento das potencialidades humanas. Trata-se de aprender a 'dançar a vida' e descobrir o 'prazer de viver'." Rolando Toro





É um sistema de integração humana, renovação orgânica, reeducação afectiva e reaprendizagem das funções originárias da vida.A  sua metodologia consiste em induzir vivências integradoras por meio  da música, do canto, do movimento e de situações de encontro em grupo.

o processo de integração actua mediante a estimulação das funções primordiais de conexão com a vida, que permite a cada indivíduo integrar-se a si mesmo, à espécie e ao universo.

é a acção sobre a auto-regulação orgânica induzida principalmente mediante estados de transe que activam processos de renovação celular e regulação global das funções biológicas, diminuindo os factores de desorganização e stress.

a capacidade de estabelecer vínculos com as outras pessoas.

aprender a viver a partir dos instintos. O instinto é uma conduta inata, hereditária, que não requer aprendizagem e se manifesta mediante estímulos específicos. Tem como objectivo conservar a vida e permitir sua evolução.

a experiência vivida com grande intensidade no aqui-agora com qualidade ontológica, ou seja, projecta-se em toda a existência.


Foi criada na década de 60 por Rolando Toro Arañeda, psicólogo e antropólogo chileno, que inspirou-se nas fontes antropológicas e etológicas.
Cada participante é convidado a descobrir as próprias respostas vitais e a conduzir a sua forma de expressão e acção no mundo, reforçando o seu desenvolvimento, equilíbrio inter-orgánico e existencial .A Biodanza é um sistema que abarca a totalidade da vida humana com o seu modelo teórico-operacional de grande coerência e comprovado cientificamente na sua eficácia.
As vivências em Biodanza estão orientadas para estimular os potenciais de vitalidade, sexualidade, criatividade, afectividade e transcendência, denominados linhas de vivência.

Este artigo foi tirado do site:
http://www.biodanza-geane.com

 Tive conhecimento da biodanza através de uma senhora que entrevistei no Jardim da Estrela que falou maravilhas desta actividade , que depois de ter ido a este site fiquei com vontade de conhecer melhor. Espero que o leitor deste pequeno artigo sobre a biodanza também fique com a mesma curiosidade.

Yola Leite