gerofuturo@gmail.com

sábado, 25 de junho de 2011

A longevidade, segundo os princípios do povo de Okinawa

Alimentação correcta _ Dieta rica em frutas e legumes antioxidantes, caso da cenoura, algas, azeite de oliva, aves e peixe. Esta “mistura” oferece cerca de 50% de maio, possibilidade em atingir idades mais avançadas.
Esta tese é apoida pelo neuro-cientista americano Gary Small, director do Centro de Pesquisa em Memória e envelhecimento, da Universidade da California nos EUA. Este mesmo cientista, afirma que os antigos Gregos fariam uma dieta semelhante e por esse motivo, viviam cerca de mais 25% do que os outros povos.
Stress _ A radiação, o calor e o frio podem estimular reacções de protecção benéficas para o corpo, como a activação do sistema imunológico. O mais difícil será acertar a respectiva dose.
Exercícios para o cérebro _ A leitura, as palavras cruzadas, os jogos nomeadamente de xadrez, podem diminuir em cerca de 30% demências, tais como o Alzheimer, contudo trata-se de uma tese ainda a ser desenvolvida, até lá e pelo sim, pelo não, não custa nada praticarmos estes hábitos.
Sociabilidade _ O ser humano é social, e esta característica estimula actitudes positivas diante da vida, tais como não consumir drogas, não fumar, entre outras.
As companhias serão todas aquelas que nos fazem bem, tais como, família, amigos, namorados.
O casamento é uma relação extremamente positiva, pois resulta num apoio e estabilidade relativamente constante. Citemos o caso de uma pessoa idosa casada com problemas cardíacos que vive em média mais cerca de quatro anos que outra também idosa, saudável mas só.
Optimismo _ As actitudes positivas diante da vida, fazem-nos ser mais fortes e viver mais e melhor tempo.

(ver "site" indicado, para uma melhor passagem da mensagem)

http://www.youtube.com/watch?v=-BE4f6GWBkU&feature=related

Linda Brito, 1º ano

Sem comentários:

Enviar um comentário