gerofuturo@gmail.com

sexta-feira, 13 de abril de 2012

Álcool, Drogas e muito mais entre IDOSOS

A faixa etária dos idosos é a que mais consome medicamentos e álcool. Estas substâncias influenciam negativamente o funcionamento, a psicomotricidade e a cognição, ficando os idosos mais expostos a acidentes, quedas, isolamento, etc.
As mudanças fisiológicas fazem aumentar os efeitos do álcool e os idosos ficam mais vulneráveis e muitas vezes são marginalizados e é necessário tratamento. Os médicos (Psiquiatras) devem ser perspicazes e hábeis em ajudar os pacientes a reconhecerem as consequências do uso de drogas.
Entre os idosos, 17% são afectados por vários tipos de drogas, sendo a percentagem maior entre os homens (60% a 70% têm problemas de álcool e fumam um maço de cigarros por dia). As mulheres que consomem álcool são normalmente companheiras de homens que bebem ou então fazem-no por morte do cônjuge ou porque sofrem de depressão.
Em relação ao tabaco, os idosos que fumam há muitos anos, não conseguem deixar de o fazer, sendo o tabagismo a causa de morte entre pessoas com 60 anos (doenças cardíacas e pulmonares).
O uso de drogas ilícitas é menor em idosos, mas existem casos em que juntamente com álcool e tratamento psiquiátrico, usam cannabis, (substância que pode exacerbar a morbilidade psiquiátrica existente).
Os problemas de droga que afectam os idosos são:

- Alterações fisiológicas originadas pelo envelhecimento do corpo aumentam os efeitos do álcool e outras drogas.
- Menor massa corporal e água originam aumento de gordura, maior plasma e absorção das drogas.
- Mais álcool no sangue é detectado pela mesma quantidade de bebida ingerida ao longo dos anos.
- Problemas clínicos e sociais tornam-se inadequados para a idade.

- Diferentes patologias, várias consultas, diversos médicos e acumulação de medicamentos, ingeridos errada e descontroladamente.

- Reforma e perda de papéis sociais pelo uso excessivo de álcool e medicação, impedem muitas vezes a solidão, aliviam a dor e elevam a auto-estima.

A maior parte dos idosos com problemas relacionados com o álcool, drogas ou medicação vivem sozinhos, por morte do cônjuge, por depressão, por invalidez, por falta de apoio social e insatisfação nas actividades de lazer.
Entre 10% a 30% dos idosos que abusam ou são dependentes do álcool, têm transtornos de humor primário (maior disfunção social e risco de suicídio).
O uso de drogas originam: insónias, fadiga, sonolência diurna, falta de memória, confusão, desnutrição, irritabilidade, incontinência, vómitos e náuseas, tremor, quedas frequentes, etc.


Natália Fonseca (2º Ano Gerontologia Social)

Sem comentários:

Enviar um comentário