gerofuturo@gmail.com

quinta-feira, 16 de junho de 2011

Uso abusivo de sedativos nos lares de idosos

Vários especialistas em Geriatria e Gerontologia consideraram que nos dias de hoje, existem lares onde se usa, de forma abusiva, sedativos em idosos. Os mesmos alertam para a necessidade destes casos serem denunciados.

Paulo Pereira Neves, médico omeopata e especilista em Geriatria disse que: "Muitos idosos são encaminhados para os hospitais e lares. È triste ver que nesses lares, por vezes, os idosos são sedados para não darem trabalho".
Acrescentou, ainda, que esta é uma realidade em muitos lares portugueses e dá a sua opinião: "Fico triste com o tratamento que é dado aos idosos em muitas instituições portuguesas e também me entristece a forma como os funcionários lidam com eles".

Maria de Lourdes Quaresma, coordenadora da pós-graduação em Gerontologia Social do Instituto Superior de Serviço Social de Lisboa e uma das oradoras do encontro, também admitiu a existência deste problema em Portugal e defendeu que os casos devem ser denunciados:
"É uma abuso e uma violência contra as pessoas". Na opinião da especialista, “o país está pouco habilitado para lidar com os problemas específicos dos idosos e muitos lares são ainda "depósitos de pessoas".
Por um lado, adiantou Maria de Lourdes Quaresma, “os lares de idosos têm pessoas pouco qualificadas”. Por outro lado, a maior parte dos médicos não tem preparação nesta área. "Falta um trabalho multidisciplinar. Deveria existir equipas com várias valências para acompanhar os idosos", disse também a especialista.
Segundo Maria de Lourdes Quaresma, é um facto que os idosos vivem uma situação de grande stress, porque são, por vezes, obrigados a fazer mudanças radicais na sua vida. Em muitos casos, os idosos, quando vão para as instituições, têm já vários problemas de saúde e os lares nem sempre estão preparados para prestar os cuidados e atenção devida.
Há ainda casos de idosos que viviam isolados e que chegaram às instituições com sintomas de depressão, acabando estas por tratar do sintoma em vez de procurar descobrir a causa.

Decorreu um encontro no âmbito do programa “Mais Voluntariado, Menos Solidão”, desenvolvido em Lisboa desde 2003 pela Misericórdia de Lisboa, Cruz Vermelha Portuguesa e Associação Coração Amarelo.
O programa tem como principal objectivo promover a ajuda necessária para uma melhor qualidade de vida a pessoas a partir dos 65 anos de idade que se encontrem em situação de dependências ou solidão.
No âmbito do mesmo programa existe ainda uma equipa de voluntários que ajuda os idosos de Lisboa nas actividades da sua vida diária.
Uma questão que foi deixada em aberto: “Será que não há enfermeiros coniventes com esta situação ?”

Artigo escrito por Àlvaro Matos em 29 Setembro 2007

Catarina Patrocinio

Sem comentários:

Enviar um comentário