gerofuturo@gmail.com

quarta-feira, 25 de maio de 2011

Ano Europeu do Envelhecimento Ativo e da Solidariedade entre Gerações 2012


Este artigo foi tirado do site www.ajudas.com


Imagem ilustrativa desta notícia"A União Europeia encontra-se em processo de envelhecimento populacional significativo. Desde 1960, a esperança de vida aumentou em oito anos e as projecções demográficas esperam um aumento de cinco anos mais durante os próximos quarenta anos. A partir de 2012 a população europeia em idade de trabalhar começará a diminuir, enquanto que, a população com mais de 60 anos continuará a aumentar em cerca de dois milhões de pessoas ao ano, segundo um cenário que supõe altos níveis de imigração continuados e um ligeiro aumento da fertilidade.

O envelhecimento da população apresenta tanto reptos como oportunidades. Pode aumentar a pressão sobre os pressupostos públicos e os sistemas de pensões, assim como, a dotação do pessoal dos serviços sociais e atenção aos mais velhos.

Este ponto de vista, sem dúvida, deixa de lado a importante contribuição real e potencial que as pessoas mais velhas - e as coortes do baby boom, em particular, - podem aportar á sociedade. Uma oportunidade chave para fazer frente ao repto do envelhecimento demográfico, e para a preservação da solidariedade intergeracional, que consiste em assegurar que as coortes do baby boom possam permanecer mais tempo no mercado laboral, sigam sendo participantes activos na sociedade e mantenham-se saudáveis e autónomos o maior tempo possível.


Os principais reptos

Fazer frente á reforma antecipada: alentar os trabalhadores a permanecer no emprego requere a melhoria das condições de trabalho e a sua adaptação às condições de saúde e às necessidades dos trabalhadores de maior idade, a atualização das suas habilidades, proporcionando um melhor acesso á formação permanente, e a revisão dos sistemas fiscais e de prestações para garantir que são incentivos efectivos para trabalhar mais tempo.
Lutar contra a exclusão social das pessoas mais velhas mediante a participação ativa: o envelhecimento ativo é também uma ferramenta eficaz para lutar contra a pobreza e o isolamento na velhice. Um número considerável de pessoas de idade avançada experimenta a velhice como uma etapa de marginalização. Enquanto que, melhores oportunidades de emprego para as pessoas mais velhas poderiam ajudar a abordar algumas das causas da pobreza entre este grupo etário, a participação ativa em atividades de voluntariado poderia reduzir o isolamento das pessoas mais velhas. O enorme potencial que as pessoas mais velhas representam para a sociedade como voluntários ou cuidadores poderia mobilizar-se melhor mediante a eliminação dos obstáculos existentes para pagar o trabalho, proporcionando o marco adequado e adaptando-se às suas necessidades.
A luta contra as doenças em idades avançadas: melhorar a saúde da população, é vital para o indivíduo e para o bem-estar da sociedade. Se bem que contribui directamente para a qualidade de vida individual, uma população saudável é também crítica para o desenvolvimento económico, o crescimento e a prosperidade na Europa, permitindo às pessoas permanecer ativas socialmente durante mais tempo e reduzindo a tensão nos sistemas de saúde e assistência social.


A necessidade de um Ano Europeu

A Comissão destacou na sua Comunicação sobre a "Europa 2020 - Uma estratégia para um crescimento inteligente, sustentável e inclusivo" a importância de promover um envelhecimento saudável e ativo da população para ajudar, entre outras coisas, a alcançar um nível elevado de emprego, investir nas competências e reduzir a pobreza. 
O envelhecimento ativo necessita do apoio de uma ampla gama de políticas em todos os níveis governamentais. A UE desempenha o seu papel em âmbitos políticos como o emprego, a saúde pública, a sociedade da informação, o transporte e a proteção social, mas nas respostas políticas principais o envelhecimento ativo geralmente fica sobre a responsabilidade dos Estados membros, que estão a intensificar os seus esforços para mobilizar o potencial das pessoas mais velhas.


O objetivo geral

O Ano Europeu do Envelhecimento Ativo está desenhado para servir como marco para a sensibilização, para identificar e difundir boas práticas e, o mais importante, para animar os responsáveis do desenvolvimento de políticas e para os agentes interessados em facilitar o envelhecimento ativo. O objetivo é convidar estes atores a comprometerem-se com medidas concretas e metas na primeira metade do ano 2011 para que os lucros tangíveis se possam apresentar durante o Ano Europeu em 2012.
A Comissão pôs em marcha um sitio web para o Ano Europeu que recolhe e apresenta informação sobre os planos de medidas e iniciativas que se hajam implementado em todos os níveis em toda a UE no contexto do Ano Europeu.


O Ano europeu de 2012 dentro dos atuais programas da União

A União Europeia já adoptou várias iniciativas para promover o envelhecimento ativo (Estratégia de emprego, o FSE, PROGRESS, o programa Grundtvig para a educação de adultos, programa de saúde pública, plano de ação europeu ‘Envelhecer melhor na sociedade da informação’).
Estas atividades devem ser beneficiadas de uma maior visibilidade no contexto do Ano Europeu. Muitas das políticas e instrumentos existentes podem estar orientadas face aos objetivos do Ano Europeu para que os projetos com uma dimensão do envelhecimento ativo possam conseguir o apoio financeiro da UE (investigação, conferências, seminários, intercâmbio de experiências).

Mais informação na página web do Ano Europeu do Envelhecimento Ativo."



(Traduzido por: Carina Oliveira (colaboradora permanente do ajudas.com)
Yola Leite

Sem comentários:

Enviar um comentário